DoaçãoPrecisamos do seu apoio para continuar com nosso projeto. Porque e como ajudar

TelegramEstamos também no Telegram, siga nosso grupo. Estamos no TelegramAcesse Siga

Os deuses e heróis da Grécia antiga seriam africanos negros?

6 de setembro de 2023

6920
Visitas

8
compartilhamentos

Acessibilidade
Array ( [0] => WP_Term Object ( [term_id] => 2181 [name] => Aquiles [slug] => aquiles [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 2181 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 2 [filter] => raw ) [1] => WP_Term Object ( [term_id] => 3415 [name] => EF06HI09 [slug] => ef06hi09 [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3415 [taxonomy] => post_tag [description] => Discutir o conceito de Antiguidade Clássica, seu alcance e limite na tradição ocidental, assim como os impactos sobre outras sociedades e culturas. [parent] => 0 [count] => 16 [filter] => raw ) [2] => WP_Term Object ( [term_id] => 3422 [name] => EM13CHS104 [slug] => em13chs104 [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3422 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 7 [filter] => raw ) [3] => WP_Term Object ( [term_id] => 3423 [name] => EM13CHS501 [slug] => em13chs501 [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3423 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 3 [filter] => raw ) [4] => WP_Term Object ( [term_id] => 3960 [name] => etiopes [slug] => etiopes [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3960 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 1 [filter] => raw ) [5] => WP_Term Object ( [term_id] => 1167 [name] => guerra de troia [slug] => guerra-de-troia [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 1167 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 2 [filter] => raw ) [6] => WP_Term Object ( [term_id] => 299 [name] => iliada [slug] => iliada [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 299 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 2 [filter] => raw ) [7] => WP_Term Object ( [term_id] => 347 [name] => mitologia grega [slug] => mitologia-grega [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 347 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 3 [filter] => raw ) [8] => WP_Term Object ( [term_id] => 300 [name] => odisseia [slug] => odisseia [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 300 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 2 [filter] => raw ) [9] => WP_Term Object ( [term_id] => 3959 [name] => Odisseu [slug] => odisseu [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3959 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 1 [filter] => raw ) [10] => WP_Term Object ( [term_id] => 3958 [name] => Zeus [slug] => zeus [term_group] => 0 [term_taxonomy_id] => 3958 [taxonomy] => post_tag [description] => [parent] => 0 [count] => 1 [filter] => raw ) )

Em fevereiro de 2018, a BBC transmitiu uma minissérie em oito partes, Troy, Fall a City, que contava a história da Guerra de Troia. Posteriormente, a Netflix lançou a minissérie nos Estados Unidos. A escalação de David Gyasi, um ator britânico filho de pais Ashanti, de Gana, para interpretar Aquiles provocou uma tempestade de críticas racistas nas redes sociais. Outras controvérsias foram em torno dos personagens Zeus, Atenas, Eneias, Pátroclo e Nestor também interpretados por atores negros.

Esse é um tema que muitos tratam como “modismo” do protagonismo negro contemporâneo. O assunto, porém, é muito mais antigo do que o público leigo imagina, e está coberto por camadas milenares de representações diversas.

  • BNCC: 6° ano – Habilidade: EF06HI09
  • Ensino Médio – Habilidades: EM13CHS104, EM13CHS501

Aquiles (à esquerda) e Zeus (à direita): o herói aqueu/grego e o deus dos deuses na versão da BBC/Netflix, 2018.

A primeira questão que se coloca é: quem eram os gregos? Como eles se viam?

Tim Whitmarsh (1969-), especialista em Antiguidade Clássica da Universidade de Cambridge, responde para a revista digital Faros o seguinte:

“os gregos teriam uma gama de cores de cabelo e tipos de pele na Antiguidade. Não há razão para duvidar que o seu tipo de pele fosse mediterrâneo (mais claro que alguns e mais escuro que outros europeus), com uma boa mistura de misturas”. […]

“Era improvável que os gregos históricos tivessem a pele uniformemente clara, e, também, seu mundo era o lar de “etíopes”, um termo vago para chamar os norte-africanos de pele escura.” […]

O mundo grego – que eles viam como um disco circular rodeado por uma corrente de oceano em constante movimento – era muito mais “fluido” do que o nosso. Houve muitas viagens nesse período – as pessoas se mudavam do Egito para a Grécia, de leste para oeste. Era um mundo sem fronteiras, sem estados nacionais. Estava tudo interligado.

Este fluxo foi tanto étnico como geográfico.Os gregos não dividiram o mundo em preto e branco. Eles não se viam nesses termos. Todas as nossas categorias – preto e branco, por exemplo – são formadas por um conjunto de circunstâncias históricas modernas.”

Para entender a questão da cor da pele nos textos gregos antigos, há cinco pontos a serem considerados.

1. Os etíopes: belos e superiores

Fontes antigas contém muitas expressões de admiração pelos negros africanos, especialmente por por aqueles que os gregos chamavam de “etíopes”, nome usado na Antiguidade para se referir à pele negra. Por exemplo, Heródoto (3.20) chama os etíopes de as pessoas mais bonitas do mundo. Em Homero (II. 1.423), Zeus e os demais deuses olímpicos passam dias felizes com os etíopes.

Os antigos gregos consideravam a pele escura mais bonita e um sinal de superioridade física e moral. Na Odisséia, quando Atena quer fazer Odisseu parecer um deus antes dele entrar em seu palácio, ela lhe dá roupas novas, escurece sua barba e o torna de pele escura” (Odisseia 16.175: μελαγχροιής ,  melanchroiês , que é um composto de  melan , “escuro”, e  chroiê , “carne”).

2. Pele branca: característica feminina e de pessoa fraca

Em contraposição, na Grécia antiga acreditava-se que a pele excessivamente branca era sinal de um homem fraco e afeminado. Xenofonte relata que o rei espartano Agesilau II (c.445-359 a.C.) mandou despir os prisioneiros de guerra para que seus soldados os vissem “brancos, gordos e preguiçosos” e assim acreditarem que a “guerra seria uma briga com mulheres”

3. Zeus e Odisseu nos textos antigos

Sófocles, o mais popular dos dramaturgos gregos, retratou Zeus como negro. No fragmento 269a de sua peça Ínaco (Inachus), Zeus é descrito pelo refrão da peça como “preto” – αἰθός / aithos – que, na Antiguidade, faria parte da palavra “etíope” e, portanto, está ligada à pele negra. É possível que um Zeus negro tenha aparecido no palco na encenação desta peça. Sófocles pode ter tornado Zeus preto porque Épafo, rei do Egito, filho de Zeus e Io, era negro. Ele é mencionado por Ésquilo em Prometeu Acorrentado como “o escuro Épafo”.

Na Odisséia (16.175), é dito que Odisseu tem “pele negra e cabelos lanosos” e, a certa altura, somos informados de que a deusa Atena o torna bonito ao restaurar sua cor natural de pele negra.

Zeus, rei dos deuses, é outro caso difícil de determinar. No mito, Zeus revela-se aos mortais de diferentes formas: um cisne, um touro, uma águia, uma chuva de ouro.. Não seria incomum apresentar-se negro como o ator Hakeem Kae-Kazim, em Troy, Fall of a City.

O ator nigeriano Hakeem Kae-Kazim interpretando Zeus na minissérie “Troy, Fall of a City”, da BBC/Netflix, 2018.

4. Aquiles de cabelos “loiros”: será?

Na Ilíada (livro 1, linha 197), Homero descreve Aquiles como tendo cabelos loiros o que é apenas uma tradução aproximada. O termo ξανθός / xantho / xanthē pode significar “dourado”. No livro 23, linha 141 da Ilíada, Aquiles lança uma “mecha de cabelo xanthos” na pira funerária de Pátroclo. Na obra, são as únicas passagens que mencionam o cabelo de Aquiles. Duas únicas palavras em um poema com 15.693 versos.

Por outro lado, Menelau, o rei de Esparta, é descrito como xanthos vinte e sete vezes. Pode-se pensar que seu cabelo xanthos é a característica definidora de Menelau, mas não é o que caracteriza Aquiles.

O ator britânico, de David Gyasi, filho de pais Ashanti, de Gana, interpretando Aquiles na minissérie “Troy, Fall of a City”, da BBC/Netflix, 2018.

E ainda, a palavra xanthos é usada no grego antigo para descrever muitas coisas que consideramos amarelas como mel, luz solar e azeite e também como adjetivo em cintilante, brilhante.

Outro complicador dessa tradução é que as cores nos poemas homéricos nem sempre equivalem aos nomes que usamos para elas. “As pessoas nas culturas antigas viam as cores de uma maneira totalmente diferente de nós. A descrição da cor mais notoriamente desconcertante no antigo mundo mediterrâneo é o ‘mar vinho escuro’ na Ilíada e na Odisseia”, comenta Mark Bradley, professor de História Antiga na Universidade de Nottingham.

O mar é descrito como “vinho escuro” em passagens trágicas do poema em que a descrição representa mais o clima da cena do que a cor superficial. Qualquer referência à cor nos poemas homéricos deve ser examinada pelo seu simbolismo mais amplo, incluindo a descrição do cabelo de Aquiles e da pele “negra” de Odisseu.

5. Africanos negros na Guerra de Troia

O poema Aethiopis (Etíopes), provavelmente composto no século VIII ou VII a.C. relata eventos do final da Guerra de Troia que não foram mencionados por Homero na Ilíada como a intervenção das Amazonas na guerra, a morte de Aquiles e a participação do príncipe etíope Memnon ao lado dos troianos.

Memnon, um dos maiores guerreiros da guerra de Troia, foi frequentemente representado como um negro africano. Ele é descrito por Hesíodo (século VIII-VII a.C.), na Teogonia (985) como nascido com a pele de bronze.

A partida de Memnon para Tróia. Cerâmica grega, c. 550-525 a.C. Vaso de figura negra. Museus Reais de Arte e História, Bruxelas, Bélgica.

O poema Aethiopis conta que Memnon chega a Troia para lutar ao lado dos troianos. Memnon assemelha-se a Aquiles: ambos têm uma mãe divina e um pai mortal; ambas as mães preveem a morte de seus filhos; ambos têm uma armadura especial feita pelo deus Hefestos; ambos recebem a imortalidade após a morte (na versão de Aethiopis).

As semelhanças seguem nas motivações de ambos guerreiros: Memnon mata Antíloco, filho de Nestor, o que leva Aquiles a matar Memon com vingança. O mesmo padrão é narrado na Ilíada em que Nestor mata Pátroclo, e Aquiles em vingança mata Heitor.

As semelhanças entre o heroi aqueu/grego e o príncipe etíope podem explicar a representação de Aquiles com a cor da pele de Memnon, na versão BBC/Netflix. Por que não, afinal?

Conclusão

O que chamamos de “poemas” homéricos não eram originalmente obras escritas, mas apresentações orais. Os intérpretes destes épicos, conhecidos como “rapsodos”, não recitavam poemas memorizados, mas improvisavam novas versões destas conhecidas histórias cada vez que se apresentavam.

Os principais contornos das histórias eram fixos – os gregos sempre saqueavam Troia, Odisseu sempre voltava para casa – mas os rapsodos gozavam de considerável liberdade na forma de retratar os personagens, quais detalhes e episódios enfatizavam, o grau em que expandiam ou contraíam a narrativa etc.

Os textos da Ilíada e da Odisseia que chegaram aos nossos dias são apenas uma versão das muitas versões possíveis realizadas na Antiguidade. Discute-se muito quem foi Homero: pode ser o nome do intérprete de uma versão ou pode ser um nome usado, na Antiguidade como uma espécie de “marca” para denominar toda a tradição que produziu os poemas.

A julgar pelos escritores mais proeminentes e célebres da Grécia Antiga (Heródoto, Sófocles, Ésquilo), a representação de deuses e heróis como negros teria sido aceita pelo público da época sem estranheza ou indignação. Os antigos gregos não tinham preconceito contra a pele negra e até a considerava bonita associando a pele escura às proezas militares.

Fonte

Saiba mais

Doação
Doação

Estamos no limite de nossos recursos 😟 O site Ensinar História produz conteúdo de qualidade sem custos, sem propaganda e sem restrições aos seguidores. Contribua com nosso projeto realizando uma doação.

Compartilhe

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog:

    0
    Would love your thoughts, please comment.x