DoaçãoPrecisamos do seu apoio para continuar com nosso projeto. Porque e como ajudar

TelegramEstamos também no Telegram, siga nosso grupo. Estamos no TelegramAcesse Siga

Implantado o Real como moeda nacional

01 de julho de 1994

2736
Visitas

5
compartilhamentos

Acessibilidade

Em 1 de julho de 1994, foi implantado o Real como moeda nacional no governo Itamar Franco, sob o comando do então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso.

O chamado Plano Real foi um processo de estabilização econômica iniciado em 1993. Surgiu de uma conjuntura de descontrole da inflação que já durava praticamente trinta anos.  Antes dele, entre 1986 e 1994, o país conviveu com cinco planos econômicos – todos fracassados – responsáveis por criarem quatro moedas diferente:

  • Moeda CRUZEIRO (1942-1967 e 1970-1986): era a moeda vigente no Brasil antes dos planos de estabilização da economia. O Cruzeiro foi implantado em 1942, na ditadura de Getúlio Vargas, substituído em 1967 pelo Cruzeiro Novo, com o corte de três zeros. Em 1970, a moeda voltou a se chamar Cruzeiro.
  • Moeda CRUZADO (1986-1989): implantada com o Plano Cruzado pelo governo de José Sarney (1985-1990). O plano congelou preços e salários e foi um desastre. A inflação disparou, os preços de combustíveis, bebidas, automóveis aumentaram consideravelmente. A economia entrou em colapso. O plano foi refeito e, ainda em 1986, o governo lançou o Plano Cruzado II. Este também fracassou e, em 1987, foi substituído pelo Plano Bresser. A inflação foi contida por um período muito curto e novamente disparou.
  • Moeda CRUZADO NOVO (1989-1990): implantada como o Plano Verão, ainda no governo José Sarney.
  • Moeda CRUZEIRO (1990-1993): introduzida pelo Plano Brasil Novo, mais conhecido como Plano Collor, nome do então presidente Fernando Collor de Mello (1990-1992). O plano fracassou no controle da inflação.
Evolução da inflação da década de 1940 a primeira decada de 2000

Em vermelho, a evolução da inflação desde a década de 1940, governo Getúlio Vargas até a primeira década do 2000, no governo Lula. Os números se referem à inflação média mensal. Note o crescimento acelerado a partir do chamado “Milagre Econômico”, atingindo o pico em 1993, no governo Itamar Franco. A queda vertiginosa da inflação depois de 1994 é resultado do Plano Real. Fonte: https://brasilfatosedados.wordpress.com/2010/12/11/inflacao-x-pib-evolucao-nominal-e-periodos-inflacionarios-1940-2010/

O Plano Real passou por três fases: o Programa de Ação Imediata, a criação da URV (Unidade Real de Valor) e a implementação da nova moeda, o REAL.

A inflação que, em 1993, chegou a 2.477%, finalizou 1994 em 916% e caiu para 22% em 1995. Desde então, mesmo com as várias crises internacionais e internas que prejudicaram a estabilização econômica, o IPCA O (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado em 12 meses passou de 9% em poucas ocasiões.

O Plano Real foi uma obra coletiva. Contou com a colaboração dos economistas Edmar Bacha, André Lara Rezende, Pérsio Arida e Gustavo Franco, sob a coordenação política do então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso.

O sucesso do plano possibilitou a vitória de Fernando Henrique Cardoso nas eleições para a Presidência em 1994, sendo reeleito na eleição seguinte.

Após algumas crises internacionais, as políticas econômicas foram revistas e modificadas, mas a estabilidade da moeda permaneceu, comparando com as décadas em que a realidade era a hiperinflação.

Curiosidades

O nome escolhido, “Real”, coincide com o nome da primeira moeda do Brasil (plural: réis), utilizada pelo império de Portugal e em todas as suas colônias. Foi a moeda brasileira desde os tempos coloniais até 1942 quando foi substituída pelo Cruzeiro.

Diferentemente das moedas anteriores, o Real não trouxe na sua nota personalidades da história nacional, mas sim animais da fauna brasileira, estampados no verso.

Foram escolhidos o beija-flor, garça, arara, onça pintada, garoupa, tartaruga de pente, mico-leão-dourado. A frente de todas as moedas, traz a efígie da República na forma de uma escultura.

  • BNCC: 9° ano. Habilidades: EF09HI24, EF09HI27

O Real de 1994 e de hoje

Passadas quase três décadas da criação do Plano Real, a inflação continuou a corroer o poder de compra dos brasileiros. A inflação acumulada de julho de 1994 a julho de 2022 foi de 653% (Revista Exame). Isso significa que para comprar o mesmo que se comprava com R$ 100 na década de 1990, hoje são necessários R$ 748 (dados de 2022).

Confira alguns preços em 1994:

  • 1 kg de arroz = R$ 0,64
  • 1 kg de feijão = R$ 1,11
  • 1 kg de filé mignon = 6,80
  • 1 pão francês = R$ 0,09

Carros mais baratos em 1994:

  • Escort Hobby 1.0 = R$ 7.386
  • Gol 1.000 = R$ 7.243
  • Uno Mille = R$ 7.254
  • Corsa Wind 1.0 = R$ 7.350

Gasolina = R$ 0,55 o litro

Anúncio de ofertas no supermercado, julho de 1994.

Fonte

 

Compartilhe

Navegue pela História

Selecione o mês para conhecer os fatos históricos ocorridos ao longo do tempo.

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: