DoaçãoPrecisamos do seu apoio para continuar com nosso projeto. Porque e como ajudar

TelegramEstamos também no Telegram, siga nosso grupo. Estamos no TelegramAcesse Siga

Início da Balaiada, Maranhão

13 de dezembro de 1838

3228
Visitas

11
compartilhamentos

Acessibilidade
BNCC

Em 13 de dezembro de 1838, tinha início, no Maranhão, a Balaiada ou Guerra dos Bem-te-vis (1838-1841), uma das mais importantes revoltas da História brasileira pela complexidade de suas motivações, pelo número de pessoas envolvidas e por envolver vários segmentos sociais, sobretudo os excluídos.

A população pobre livre (artesãos, vaqueiros e caboclos) oprimida pelos preços abusivos dos alimentos levantou-se, de início contra o “Pega”, isto é, o recrutamento forçado feito pelo governo da província. Cada filho recrutado significava um braço a menos no sustento da família.  O “Pega” levou muitos caboclos a viverem escondidos nas matas.

O gesto ousado de Manoel Francisco Ferreira, o Manoel Balaio, de libertar seu filho do recrutamento estimulou uma ação maior. Em 13 de dezembro, o vaqueiro Raimundo Gomes, o Cara Preta, junto com nove homens, invadiu o edifício da cadeia pública e libertou seu irmão e outros prisioneiros e ainda ganhou o apoio dos soldados encarregados da segurança policial da Vila.

O movimento cresceu com a adesão de milhares de escravos liderados por Cosme Bento das Chagas, o negro Cosme (c.1800-1842),  que há tempos sacudiam todo o Maranhão com fugas, insurreições, crimes e formação de numerosos quilombos. Negro Cosme, nascido em Sobral, no Ceará, sabia ler e escrever. Ainda jovem, chegou alforriado ao Maranhão onde acabou preso por assassinato. Fugiu da prisão após liderar uma rebelião entre os presos. Passou a promover uma vasta insurreição de negros em várias fazendas da região. Fundou o maior quilombo da história do Maranhão.

Havia também um chefe indígena, Matroá, que já era centenário e havia combatido, inclusive, na Guerra pela independência.

A revolta iniciada no Maranhão se alastrou pelo Piauí, repercutindo no Ceará, Bahia e Goiás. Dela participaram cerca de 8.000 homens livres pobres e mestiços e 3.000 negros escravizados.

O movimento foi sufocado pelas tropas comandadas pelo coronel Lima e Silva que cercou os rebeldes na cidade maranhense de Caxias, em 1841.

Lima e Silva ofereceu anistia aos rebeldes que ajudassem a atacar o Quilombo de Lagoa Amarela. A tática funcionou e os quilombolas foram vencidos. Negro Cosme foi o último grande líder da Balaiada a ser derrotado. Preso, foi condenado à morte e enforcado em 1842.

Quanto ao coronel Luís Alves de Lima e Silva, aclamado como “Pacificador” do Maranhão, recebeu do imperador D. Pedro o título de Barão de Caxias. Foi homenageado com uma estátua equestre, erguendo a espada, postada em frente ao quartel do 24° Batalhão de Infantaria do exército brasileiro, em São Luís, Maranhão.

  • BNCC: 8° ano. Habilidade: EF08HI16.

Fonte

  • MIRANDA, A. Balaios e Bem-te-vis: a guerrilha sertaneja. Teresina: Instituto Dom Barreto, 2002.
  • JANOTTI, Maria de Lourdes Mônaco. A Balaiada. São Paulo: Brasiliense, 1987 (Coleção Tudo É História).
  • OTÁVIO, Rodrigo. A Balaiada 1839. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1942.
  • OTÁVIO, Rodrigo. A Balaiada 1839. Depoimento de um dos heróis do cerco. São Paulo: Siciliano, 2001.
  • SANTOS, Maria Villela. A Balaiada e a insurreição de escravos no Maranhão. São Paulo: Ática, 1983.
  • SANTOS, Sandra Regina Rodrigues dos. O sertão maranhense no contexto da Balaiada: conflitos e contradições II Simpósio de História do Maranhão Oitocentista. São Luís, Maranhão, 2011.
  • ABRANTES, Elizaberth Sousa; PEREIRA, Josenildo de Jesus; MATEUS, Yuri Givago A. S. Histórias e memórias da Balaiada. São Luís, MA: Ed.UEMA; Porto Alegre, RS: Ed. Fi, 2022.

Saiba mais

Abertura

  • Grafite aquarelado de François-René Moreaux, século XIX.

Compartilhe

Navegue pela História

Selecione o mês para conhecer os fatos históricos ocorridos ao longo do tempo.

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: