FUVEST 2017 – 1a. fase, Conhecimentos Gerais (só História)

14 de dezembro de 2016

145
compartilhamentos

A prova de Conhecimentos Gerais da 1a. fase da FUVEST-2017, realizada dia 27 de novembro de 2016, exigiu conhecimento e muita atenção do candidato. Houve equilíbrio entre História Geral e História do Brasil com conteúdos abrangentes e testes interdisciplinares que relacionavam História com Arte, Filosofia, Literatura e Geografia. Além de documentos escritos, o exame incluiu mapa e tabela que exigiam leitura e interpretação para responder a questão proposta.

Foram 136.736 candidatos inscritos, disputando 8.734 vagas, números pouco menores do que o ano anterior. Desse total, cerca de 36%  inscreveram-se em Humanidades, 40%  em Biológicas e 24% em Exatas. Para a segunda fase, que será realizada em janeiro de 2017, serão convocados 20.741 candidatos.

Selecionamos abaixo as questões de História e algumas de Geografia cujo conteúdo é também tratado nas aulas de História. No final do artigo, estão as respostas comentadas.

Questões de História na Primeira Fase da FUVEST

QUESTÃO 01

Percival, Cavaleiro da Távola Redonda.

Percival, Cavaleiro da Távola Redonda na lenda arturiana, invocando Deus e o mensageiro. Chrétien de Troyes, Le Conte du Graal, início do século XII (BNF).

Esta imagem integra o manuscrito de uma das mais notáveis obras da cultura medieval. A alternativa que melhor caracteriza o documento é:

  • a) Fábula que enuncia o ideal eclesiástico, mescla a aventura cavalheiresca, o amor romântico e as aspirações religiosas que simbolizaram o espírito das cruzadas.
  • b) Poema inacabado que narra a viagem de formação de um cavaleiro e a busca do cálice sagrado; sua composição mistura elementos pagãos e cristãos.
  • c) Cordel muito popular, elaborado com base nos épicos celtas e lendas bretãs, divulgado para a conversão de fiéis durante a expansão do Cristianismo pelo Oriente.
  • d) Peça teatral que serviu para fortalecer o espírito nacionalista da Inglaterra, unindo a figura de um governante invencível a um símbolo cristão.
  • e) Romance que condensa vários textos, empregado pela Igreja para encorajar a aristocracia a assumir uma função idealizada na luta contra os inimigos de Deus.

QUESTÃO 02

Em relação à ética e à justiça na vida política da Grécia Clássica, é correto afirmar:

  • a) Tratava_se de virtudes que se traduziam na observância da lei, dos costumes e das convenções instituídas pela pólis.
  • b) Foram prerrogativas democráticas que não estavam limitadas aos cidadãos e que também foram estendidas aos comerciantes e estrangeiros.
  • c) Eram princípios fundamentais da política externa, mas suspensos temporariamente após a declaração formal de guerra.
  • d) Foram introduzidas pelos legisladores para reduzir o poder assentado em bases religiosas e para estabelecer critérios racionais de distribuição.
  • e) Adquiriram importância somente no período helenístico, quando houve uma significativa incorporação de elementos da cultura romana.

QUESTÃO 03

Em uma significativa passagem da tragédia Macbeth, de Shakespeare, seu personagem principal declara:

“Ouso tudo o que é próprio de um homem; quem ousa fazer mais do que isso não o é”.

De acordo com muitos intérpretes, essa postura revela, com extraordinária clareza, toda a audácia da experiência renascentista. Com relação à cultura humanista, é correto afirmar que

  • a) o mecenato de príncipes, de instituições e de famílias ricas e poderosas evitou os constrangimentos, prisão e tortura de artistas e de cientistas.
  • b) a presença majoritária de temáticas religiosas nas artes plásticas demonstrava as dificuldades de assimilar as conquistas científicas produzidas naquele momento.
  • c) a observação da natureza, os experimentos e a pesquisa empírica contribuíram para o rompimento de alguns dos dogmas fundamentais da Igreja.
  • d) a reflexão dedutiva e o cálculo matemático limitaram-se à pesquisa teórica e somente seriam aplicados na chamada revolução científica do século XVII.
  • e) a avidez de conhecimento e de poder favoreceu a renovação das universidades e a valorização dos saberes transmitidos pela cultura letrada.

QUESTÃO 04

Os ensaios sediciosos do final do século XVIII anunciam a erosão de um modo de vida. A crise geral do Antigo Regime desdobra-se nas áreas periféricas do sistema atlântico – pois é essa a posição da América portuguesa –, apontando para a emergência de novas alternativas de ordenamento da vida social.

István Jancsó, “A Sedução da Liberdade”. In: Fernando Novais, História da Vida Privada no Brasil,

v.1. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. Adaptado.

A respeito das rebeliões contra o poder colonial português na América, no período mencionado no texto, é correto afirmar que,

  • a) em 1789 e 1798, diferentemente do que se dera com as revoltas anteriores, os sediciosos tinham o claro propósito de abolir o tráfico transatlântico de escravos para o Brasil.
  • b) da mesma forma que as contestações ocorridas no Maranhão em 1684, a sedição de 1798 teve por alvo o monopólio exercido pela companhia exclusiva de comércio que operava na Bahia.
  • c) em 1789 e 1798, tal como ocorrera na Guerra dos Mascates, os sediciosos esperavam contar com o suporte da França revolucionária.
  • d) tal como ocorrera na Guerra dos Emboabas, a sedição de 1789 opôs os mineradores recém-chegados à capitania aos empresários há muito estabelecidos na região.
  • e) em 1789 e 1798, seus líderes projetaram a possibilidade de rompimento definitivo das relações políticas com a metrópole, diferentemente do que ocorrera com as sedições anteriores.

 QUESTÃO 05

mapa rotas eurasianas

Alexander Anievas e Kerem Nisanciogllu, How the West came to Rule. The Geopolitical Origins of Capitalism. Londres: PlutoPress, 2015. Adaptado.

Encontram-se assinaladas no mapa, sobre as fronteiras dos países atuais, as rotas eurasianas de comércio a longa distância que, no início da Idade Moderna, cruzavam o Império Otomano, demarcado pelo quadro. A respeito dessas rotas, das regiões que elas atravessavam e das relações de poder que elas envolviam, é correto afirmar que

  • a) a China, com baixo grau de desenvolvimento político e econômico, era exportadora de produtos primários para a Europa.
  • b) a Índia era uma economia fracamente vinculada ao comércio a longa distância, em vista da pouca demanda por seus produtos.
  • c) a Europa, a despeito do poder otomano, exercia domínio incontestável sobre o conjunto das atividades comerciais eurasianas.
  • d) a África Ocidental se encontrava em posição subordinada ao poderio otomano, funcionando como sua principal fonte de escravos.
  • e) o Império Otomano, ao intermediar as trocas a longa distância, forçou os europeus a buscar rotas alternativas de acesso ao Oriente.

QUESTÃO 6

FUVEST 2017 - 1a Fase, só História

Com base na tabela, é correto afirmar:

  • a) A industrialização acelerada da Alemanha e dos Estados Unidos ocorreu durante a Primeira Revolução Industrial, mantendo-se relativamente inalterada durante a Segunda Revolução Industrial.
  • b) Os países do Sul e do Leste da Europa apresentaram níveis de industrialização equivalentes aos dos países do Norte da Europa e dos Estados Unidos durante a Segunda Revolução Industrial.
  • c) A Primeira Revolução Industrial teve por epicentro o Reino Unido, acompanhado em menor grau pela Bélgica, ambos mantendo níveis elevados durante a Segunda Revolução Industrial.
  • d) Os níveis de industrialização verificados na Ásia em meados do século XVIII acompanharam o movimento geral de industrialização do Atlântico Norte ocorrido na segunda metade do século XIX.
  • e) O Japão se destacou como o país asiático de mais rápida industrialização no curso da Primeira Revolução Industrial, perdendo força, no entanto, durante a Segunda Revolução Industrial.

QUESTÃO 07

No Brasil, do mesmo modo que em muitos outros países latino-americanos, as décadas de 1870 e 1880 foram um período de reforma e de compromisso com as mudanças. De maneira geral, podemos dizer que tal movimento foi uma reação às novas realidades econômicas e sociais resultantes do desenvolvimento capitalista não só como fenômeno mundial, mas também em suas manifestações especificamente brasileiras.

Emília Viotti da Costa, “Brasil: a era da reforma, 1870-1889”. In: Leslie Bethell,

História da América Latina, v.5. São Paulo: Edusp, 2002. Adaptado.

A respeito das mudanças ocorridas na última década do Império do Brasil, cabe destacar a reforma

  • a) eleitoral, que, ao instituir o voto direto para os cargos eletivos do Império, ao mesmo tempo em que proibiu o voto dos analfabetos, reduziu notavelmente a participação eleitoral dos setores populares.
  • b) religiosa, com a adoção do ultramontanismo como política oficial para as relações entre o Estado brasileiro e o poder papal, o que permitiu ao Império ganhar suporte internacional.
  • c) fiscal, com a incorporação integral das demandas federativas do movimento republicano por meio da revisão dos critérios de tributação provincial e municipal.
  • d) burocrática, que rompeu as relações de patronato empregadas para a composição da administração imperial, com a adoção de um sistema unificado de concursos para preenchimento de cargos públicos.
  • e) militar, que abriu espaço para que o alto-comando do Exército, vitorioso na Guerra do Paraguai, assumisse um maior protagonismo na gestão dos negócios internos do Império.

QUESTÃO 08

Leia o texto e observe a imagem.

Numa guerra não se matam milhares de pessoas. Mata-se alguém que adora espaguete, outro que é gay, outro que tem uma namorada. Uma acumulação de pequenas memórias… .

Nós que aqui estamos, por vós esperamos. Direção de Marcelo Masagão. Brasil, 1999.

Criança síria morta na praia, Turquia

Foto de Nilüfer Demir, Bodrum, Turquia, 02/09/2015.

A partir do texto e da imagem, pode-se afirmar corretamente que

Publicidade
  • a) a história das guerras se resume a um teatro de combates travados no front por estadistas e militares.
  • b) os relatos que abordam os conflitos apenas com base nos tratados e armistícios são parciais e limitados.
  • c) o fim dos impérios, a xenofobia e a consolidação do projeto federativo garantiram a paz mundial.
  • d) a banalização da morte e a experiência do exílio expressam a retração dos nacionalismos nos séculos XX e XXI.
  • e) as políticas de inclusão foram capazes de controlar os fluxos migratórios globais.

QUESTÃO 09

Mas o pecado maior contra a Civilização e o Progresso, contra o Bom Senso e o Bom Gosto e até os Bons Costumes, que estaria sendo cometido pelo grupo de regionalistas a quem se deve a ideia ou a organização deste Congresso, estaria em procurar reanimar não só a arte arcaica dos quitutes finos e caros em que se esmeraram, nas velhas casas patriarcais, algumas senhoras das mais ilustres famílias da região, e que está sendo esquecida pelos doces dos confeiteiros franceses e italianos, como a arte popular como a do barro, a do cesto, a da palha de Ouricuri, a de piaçava, a dos cachimbos e dos santos de pau, a das esteiras, a dos ex-votos, a das redes, a das rendas e bicos, a dos brinquedos de meninos feitos de sabugo de milho, de canudo de mamão, de lata de doce de goiaba, de quenga de coco, de cabaça – que é, no Nordeste, o preparado do doce, do bolo, do quitute de tabuleiro, feito por mãos negras e pardas com uma perícia que iguala, e às vezes excede, a das sinhás brancas.

Gilberto Freyre. Manifesto regionalista (7ª ed.). Recife: FUNDAJ, Ed. Massangana, 1996.

De acordo com o texto de Gilberto Freyre, o Manifesto regionalista, publicado em 1926,

  • a) opunha-se ao cosmopolitismo dos modernistas, especialmente por refutar a alteração nos hábitos alimentares nordestinos.
  • b) traduzia um projeto político centralizador e antidemocrático associado ao retorno de instituições monárquicas.
  • c) exaltava os valores utilitaristas do moderno capitalismo industrial, pois reconhecia a importância da tradição agrária brasileira.
  • d) preconizava a defesa do mandonismo político e da integração de brancos e negros sob a forma da democracia racial.
  • e) promovia o desenvolvimento de uma cultura brasileira autêntica pelo retorno a seu passado e a suas tradições e riquezas locais.

QUESTÃO 10

Não nos esqueçamos de que este é um tempo de abertura. Vivemos sob o signo da anistia que é esquecimento, ou devia ser. Tempo que pede contenção e paciência. Sofremos todo ímpeto agressivo. Adocemos os gestos. O tempo é de perdão. (…) Esqueçamos tudo isto, mas cuidado! Não nos esqueçamos de enfrentar, agora, a tarefa em que fracassamos ontem e que deu lugar a tudo isto. Não nos esqueçamos de organizar a defesa das instituições democráticas contra novos golpistas militares e civis para que em tempo algum do futuro ninguém tenha outra vez de enfrentar e sofrer, e depois esquecer os conspiradores, os torturadores, os censores e todos os culpados e coniventes que beberam nosso sangue e pedem nosso esquecimento.

Darcy Ribeiro. “Réquiem”, Ensaios insólitos. Porto Alegre: L&PM, 1979.

O texto remete à anistia e à reflexão sobre os impasses da abertura política no Brasil, no período final do regime militar, implantado com o golpe de 1964. Com base nessas referências, escolha a alternativa correta.

  • a) A presença de censores na redação dos jornais somente foi extinta em 1988, quando promulgada a nova Constituição.
  • b) O projeto de lei pela anistia ampla, geral e irrestrita foi uma proposta defendida pelos militares como forma de apaziguar os atos de exceção.
  • c) Durante a transição democrática, foram conquistados o bipartidarismo, as eleições livres e gerais e a convocação da Assembleia Constituinte.
  • d) A lei de anistia aprovada pelo Congresso beneficiou presos políticos e exilados, e também agentes da repressão.
  • e) O esquecimento e o perdão mencionados integravam a pauta da Teologia da Libertação, uma importante diretriz da Igreja Católica.

QUESTÃO 11

Um elemento essencial para a evolução da dieta humana foi a transição para a agricultura como o modo primordial de subsistência. A Revolução Neolítica estreitou dramaticamente o nicho alimentar ao diminuir a variedade de mantimentos disponíveis; com a virada para a agricultura intensiva, houve um claro declínio na nutrição humana. Por sua vez, a industrialização recente do sistema alimentar mundial resultou em uma outra transição nutricional, na qual as nações em desenvolvimento estão experimentando, simultaneamente, subnutrição e obesidade.

George J. Armelagos, “Brain Evolution, the Determinates of Food Choice, and the Omnivore’s Dilemma”,

Critical Reviews in Food Science and Nutrition, 2014. Adaptado.

A respeito dos resultados das transformações nos sistemas alimentares descritas pelo autor, é correto afirmar:

  • a) A quantidade absoluta de mantimentos disponíveis para as sociedades humanas diminuiu após a Revolução Neolítica.
  • b) A invenção da agricultura, ao diversificar a cesta de mantimentos, melhorou o balanço nutricional das sociedades sedentárias.
  • c) Os ganhos de produtividade agrícola obtidos com as revoluções Neolítica e Industrial trouxeram simplificação das dietas alimentares.
  • d) As populações das nações em desenvolvimento estão sofrendo com a obesidade, por consumirem alimentos de melhor qualidade nutricional.
  • e) A dieta humana pouco variou ao longo do tempo, mantendo_se inalterada da Revolução Neolítica à Revolução Industrial.

QUESTÃO 12

O período que vai de 1956 a 1967 é considerado como a primeira fase da industrialização pesada no Brasil.

Barjas Negri. Concentração e desconcentração industrial em São Paulo, 1880-1990. Campinas: Unicamp, 1996.

Sobre as características da industrialização brasileira no período de 1956 a 1967, é correto afirmar que

  • a) houve uma associação entre investimentos no setor estatal e a entrada de capital estrangeiro, que propiciaram a instalação de plantas produtoras de bens de capital.
  • b) a instituição do Plano de Metas, que teve como principal finalidade incrementar a incipiente industrialização do Rio de Janeiro e de São Paulo, marcou politicamente esse momento do processo.
  • c) partiu do Estado Brasileiro, de caráter fortemente centralizador e nacionalista, a criação das condições para a nascente indústria têxtil que se instalava no país, por meio de diversos incentivos e isenções fiscais.
  • d) ocorreu a implantação de multinacionais do setor automobilístico, que se concentraram em São Paulo, principalmente ao longo do eixo da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, em direção a Ribeirão Preto.
  • e) se trata de uma fase marcada pela política de “substituição de importações”, uma vez que se deu um incremento da indústria nacional, pela abundância de mão de obra.

QUESTÃO 13

Em julho de 2016, a Unesco reconheceu o conjunto da Pampulha, situado em Belo Horizonte (MG), como patrimônio cultural da humanidade, em função de sua importância como exemplar de arquitetura moderna. No Brasil, há outros exemplos de patrimônio da humanidade reconhecidos pela Unesco.

O patrimônio da humanidade situado no Brasil, cuja localização, bioma e importância estão corretamente identificados, é:

  • a) Parque Nacional do Iguaçu – Paraná – pampa – sítio arqueológico (pintura rupestre)
  • b) Parque Nacional de Monte Pascoal – Pernambuco – caatinga – sítio natural científico
  • c) Centro Histórico de Diamantina – Goiás – pampa – arquitetura colonial/barroca
  • d) Parque Nacional Serra da Capivara – Piauí – caatinga – sítio arqueológico (pintura rupestre)
  • e) Ruínas de São Miguel das Missões – Santa Catarina – cerrado – arquitetura colonial/barroca

Gabarito das questões de história na Fuvest (Comentadas)

01 = B   >>  O poeta e trovador francês Chrétien de Troyes, do século XII, foi um dos primeiros autores de romances de cavalaria. Sua obra é a primeira a mencionar temas tão conhecidos hoje como a busca do Santo Graal e o amor entre o cavaleiro Lancelot e a rainha Guinevere (ou Genebra), esposa do rei Arthur. Não é um tema comumente tratado em sala de aula o que exigiu do candidato associar a informação da legenda e do enunciado (cavaleiro da Távola Redonda, século e período) ao ideal de cavalaria da Idade Média e, ainda, a ficar atento para não cair nas armadilhas (“pegadinhas”) das alternativas erradas que classificam a obra como fábula, cordel e peça teatral.

02 = A  >>  O tema é recorrente nas aulas de História e de Filosofia. A ética e a justiça na vida política da Grécia Antiga limitavam-se ao cidadão e diziam respeito à pólis (o que exclui as alternativas B e C), isto é, colocava o interesse da pólis acima das conveniências particulares. Seu período de maior importância foi o século V e IV a.C., declinando a partir do período helenístico (o que exclui a alternativa  E).

03 = C  >>  O fragmento de Shakespeare “enfeita” o teste e é desnecessário para respondê-lo. Se o candidato se limitou ao que o teste pede, não foi difícil encontrar a alternativa correta. O naturalismo, o empirismo, o espírito crítico e o racionalismo adotados pelos pensadores e cientistas da época chegaram, muitas vezes, a constatações contrárias ao ao dogmatismo da Igreja no período.

04 = E  >>  O teste exigia que o candidato identificasse, inicialmente, as rebeliões referidas. O enunciado as situa na crise do Antigo Regime, final do século XVIII. As alternativas mencionam as datas, 1789 e 1798. Trata-se, portanto, das conjurações Mineira e Baiana. Definir e caracterizar os movimentos emancipacionistas e diferenciá-los dos chamados “nativistas” é tema recorrente nas aulas de História do Brasil.  Tendo esses dados em mente, o candidato podia responder corretamente a questão.

05 = E  >>  A leitura do mapa e a menção a rotas comerciais eurasianas relacionadas ao Império Otomano, China, Índia e África Ocidental são elementos que podem criar dificuldades para o candidato responder ao teste. A dica está no período referido – início da Idade Moderna, portanto, quando tem início a expansão marítimo-comercial (tradicionalmente assinalada pela conquista de Ceuta, 1415) que buscava um caminho marítimo para as Índias evitando, com isso, a intermediação turca no comércio de artigos orientais.

06 = C  >>  As alternativas exigem que o candidato identifique, na tabela, a Primeira e a Segunda Revolução Industrial, balizadas, de forma geral, pelos anos 1750 e 1860. Feito isso, a leitura atenta dos dados permite responder com segurança a questão bastando conferir a afirmação da alternativa ao que indica a tabela. Contudo, se o candidato tiver dificuldade em ler e interpretar a tabela, ainda assim, a resposta correta poderia ser facilmente identificada por ser um assunto recorrente nas aulas de História.

07 = A  >>  A última década do Império do Brasil foi marcada por crises com a Igreja e o Exército em que o governo imperial não abriu mão de suas prerrogativas sobre essas instituições – fatos que excluem as alternativas B e E.  Tampouco o governo incorporou as demandas federativas dos republicanos (o que só ocorreria com a implantação da República) e nem rompeu com as relações do patronato – elementos que excluem as alternativas C e D. A Constituição de 1824 estabelecia critérios censitários para votar e ser eleito o que permitia o voto de analfabetos e dava chance a uma parcela pobre da população a participar do processo eleitoral. A reforma eleitoral de 1881 mudou esse cenário afastando um número significativo de brasileiros da vida política do país.

08 = B  >>  Texto e imagem se completam mostrando o lado cruel das guerras que envolvem a vida pessoal de milhões de pessoas, destruindo laços familiares e as expulsam de seus países. Além disso, as guerras e os movimentos delas resultantes têm reforçado nacionalismos, fluxos migratórios descontrolados e xenofobias que estão longe de garantir a paz mundial – fatos que excluem as alternativas A, C, D e E.

09 = E  >>  Uma questão difícil, pois o fragmento do Manifesto está fora de seu contexto o que torna quase impossível ao candidato interpretá-lo corretamente. Gilberto Freyre refere-se às críticas feitas ao Primeiro Congresso de Regionalismo, realizado em Recife (onde foi lido o manifesto) que acusam o congresso de atentar “contra a civilização e o progresso, contra o bom senso e o bom gosto e até os bons costumes” pois este promove a defesa das tradições e riquezas regionais. As únicas referências que o candidato encontra no texto é o tempo verbal da primeira frase (pecado maior que “estaria sendo cometido”) e a menção aos “doces dos confeiteiros franceses e italianos” que estão substituindo a culinária regional. Elementos sutis demais para serem percebidos em um exame com 90 questões de todas as disciplinas.

10 = D  >>  O texto de Darcy Ribeiro, datado de 1979 situa o momento histórico: “este é um tempo de abertura. Vivemos sob o signo da anistia”. Mas o candidato precisa conhecer a história do período para não cair nas armadilhas das alternativas erradas. A anistia promulgada em 1979 pelo governo Figueiredo (o que anula a alternativa E), não foi “ampla, geral e irrestrita” (o que elimina a alternativa B). Com a abertura política, os censores começaram a relaxar em sua função (o que elimina a alternativa A) e o bipartidarismo foi extinto dando lugar à formação de vários partidos (o que exclui a alternativa C).

11 = C  >>  Questão que exige somente interpretação de texto. Segundo o autor, tanto a Revolução Neolítica, responsável pelo início da agricultura, como o processo de industrialização de produtos alimentícios, ocorrido em tempos recentes, aumentaram a produção de alimentos, mas também reduziram a sua variedade. Em consequência, reduziu as opções de nutrientes, provocando subnutrição e obesidade.

12 = A  >>  Erros gritantes nas alternativas B (incipiente industrialização), C (nascente indústria têxtil) e D (ao longo da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí) já as eliminavam em uma primeira leitura. Restavam as alternativas A e E que exigem maior conhecimento do candidato. O processo de industrialização brasileiro foi tardio, consolidando-se após a Segunda Guerra Mundial e fundamentado no binômio Estado – Capital Multinacional. Nesta relação, o Estado se incumbiu das indústria de base e da infraestrutura – transporte, comunicações e energia. O capital multinacional trouxe as plantas industriais, favorecidas por fatores locacionais como: mão de obra barata, incentivos fiscais e creditícios, mercado consumidor em expansão.

13 = D  >>  Louvável a inclusão, no exame, de uma questão sobre patrimônio mundial no Brasil, com especial destaque ao Parque Nacional da Serra da Capivara, que possui um dos maiores acervos mundiais de pintura rupestre. O  teste exigiu do candidato algumas informações básicas dos patrimônios mencionados. Não precisava sequer saber qual é o respectivo bioma. Assim, por exemplo, bastava identificar erros para eliminar as alternativas: o Parque Nacional do Iguaçu não é um sítio arqueológico com pinturas rupestres, o Monte Pascoal fica na Bahia, o Centro Histórico de Diamantina, em Minas Gerais e as Ruínas de São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul.

Compartilhe

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: