DoaçãoPrecisamos do seu apoio para continuar com nosso projeto. Porque e como ajudar

TelegramEstamos também no Telegram, siga nosso grupo. Estamos no TelegramAcesse Siga

Execução de Ana Bolena, Inglaterra

19 de maio de 1536

23564
Visitas

88
compartilhamentos

Acessibilidade
BNCC

Na manhã de sexta-feira, 19 de maio de 1536, Ana Bolena, rainha da Inglaterra e segunda esposa do rei Henrique VIII foi decapitada por ordem de seu marido. Tinha 29 ou 35 anos de idade (a data de seu nascimento é incerta).

Seu casamento com Henrique VIII foi polêmico, do ponto de vista político e religioso. Para se casar com Ana Bolena, o rei pediu ao papa Clemente VII o divórcio e anulação de seu casamento com Catarina de Aragão. A intenção de casar-se novamente era para produzir um herdeiro legítimo, já que Catarina de Aragão até então não lhe dera um herdeiro varão.

Catarina de Aragão esteve grávida sete vezes entre 1509 e 1518: a primeira gravidez, deu à luz a uma filha natimorta; na segunda, o filho morreu com 52 dias de vida; na terceira, a criança foi prematura e morreu; na quarta, deu à luz a um menino natimorto; na quinta, nasceu uma menina que sobreviveu (Maria Tudor); na sexta sofreu um aborto espontâneo; na sétima deu à luz a uma menina que viveu apenas algumas horas.

Henrique VIII e Ana Bolena

Henrique VIII cortejando Ana Bolena às costas de sua esposa Catarina de Aragão, por Emanuel Leutze, 1846.

Como o papa Clemente VII demorasse responder ao pedido de divórcio de Henrique VIII, este agiu por conta própria. Em 1531, um tribunal eclesiástico inglês declarou Henrique o chefe supremo da Igreja na Inglaterra, o que efetivamente acabava com a autoridade papal em todas as questões religiosas do país. Em julho desse mesmo ano, Catarina foi expulsa da corte, e seus antigos aposentos foram dados para Ana.

Henrique e Ana casaram-se secretamente em 14 de novembro de 1532. Esta pressa pode ter sido pela gravidez de Ana e a necessidade de Henrique VIII não deixar sombra de dúvidas quanto à legitimidade de um herdeiro.

Em janeiro de 1533, o recém-nomeado arcebispo de Canterbury, Thomas Cranmer, declarou o casamento de Henrique e Catarina nulo e sem efeito; cinco dias depois, ele declarou válido o casamento  de Henrique e Ana Bolena.

Catarina perdeu o seu título e, consequentemente, Ana foi coroada Rainha de Inglaterra, em 1 de junho, numa cerimônia magnífica na Abadia de Westminster, precedida de um suntuoso banquete. Em 7 de setembro de 1533, Ana deu à luz uma menina, a futura rainha Elizabeth I, da Inglaterra.

Ana Bolena em desgraça

Henrique ficou decepcionado por ter uma filha, pois esperava um filho. Passaram-se três anos, e nada de Ana Bolena dar um herdeiro varão ao trono. As gestações acabaram em abortos espontâneos e em nascimento de natimortos.

Em 7 de janeiro de 1536, Catarina de Aragão morreu de doença prolongada, provavelmente câncer, e Ana Bolena teve o mau gosto de celebrar o evento vestida de amarelo quando o resto da corte, incluindo o rei, usava luto. A partir de então Henrique começou a se afastar da mulher e logo encontrou outra amante, Joana Seymour.

Prisão de Ana Bolena

Como Henrique estava vinculado a um casamento válido com Ana pelo Ato de Supremacia aprovado pelo Parlamento Inglês, foi necessário encontrar outra forma para se separar de Ana  Bolena. Se o rei contrariasse abertamente o Ato Supremacia para ter seu casamento anulado, a sua reputação em toda a Europa ficaria comprometida. Portanto, ele só tinha uma maneira de se separar de Ana: uma acusação que resultaria em julgamento e sentença de morte.

Ana Bolena foi acusada em 2 de maio de 1536 de múltiplos adultérios, relações incestuosas com seu irmão e conspiração para matar o rei. Embora essas alegações não tenham sido provadas, ela foi condenada à morte por alta traição.

No dia seguinte, Ana e seus supostos amantes foram presos. Estes incluíam o tesoureiro dos cofres privados reais,  dois camareiros, um músico e o irmão de Ana. Com exceção do músico, Marck Smeaton,  todos os homens negaram as acusações. É possível que o músico, de família humilde, estivesse tentando evitar uma morte horrível: enforcamento, estripação e esquartejamento. De acordo com a lei, o réu acusado de traição só poderia esperar perdão se se declarasse culpado e se submetesse inteiramente ao julgamento do rei. Se condenado, o réu poderia ter uma morte menos horrível: a decapitação.

O músico e todos os demais acusados foram condenados à morte em 12 de maio de 1536 e executados cinco dias depois na Torre de Londres.

O julgamento e execução de Ana Bolena

Ana e seu irmão Jorge Bolena foram levados ao tribunal em 15 de maio para enfrentar acusações de incesto. Todo o julgamento foi baseado em depoimentos de testemunhas que estavam preparadas ou que eram hostis à rainha há muito tempo. Lady Rochford, sua própria cunhada, testemunhou que Ana havia lhe dito que “o rei era incapaz de dormir com sua esposa e não tinha habilidade nem virilidade”.

Ana e seu irmão foram condenados à morte no mesmo dia. Ela não admitiu sua culpa, mas também evitou atacar o rei. Dois dias depois, seu casamento com Henrique VIII foi anulado por razões desconhecidas, uma vez que os registros foram destruídos. A filha Elisabeth, de apenas 2 anos de idade, foi considerada uma bastarda.

Ana Bolena fez uma exigência: não queria ser morta por um carrasco inglês, que utilizava o machado para a decapitação. Exigia um carrasco francês que usava a espada. Justificou-se dizendo “uma Rainha da Inglaterra não curva a cabeça para ninguém e em nenhuma situação” – as execuções com a espada eram feitas com a vítima ajoelhada, mas com a cabeça erguida.

Ana Bolena foi decapitada por espada na manhã de sexta-feira, 19 de maio de 1536. Seu corpo e cabeça foram enterrados num túmulo sem nome na Capela Real de São Pedro ad Vincula, na Torre de Londres. Onze duas depois, Henrique VIII casou-se com sua terceira esposa, Jane Seymour.

“Ana Bolena na Torre de Londres”, por Edouard Cibot, 1799-1877

Depois de Ana Bolena

Henrique VIII teve outras quatro esposas:

  • Joana Seymour (1536-1537) que morreu no parto do futuro Eduardo VI.
  • Ana de Cleves (1540) cujo casamento com Henrique VIII durou apenas seis meses sendo anulado para que o rei se casasse com a jovem de 15 anos Catarina Howard.
  • Catarina Howard (1540-1541) foi acusada de adultério e executada na Torre de Londres em 13 de fevereiro de 1542, aos 19 anos.
  • Catarina Parr (1543-1547) que sobreviveu à morte de Henrique VIII ocorrida em 28 de janeiro de 1547. Viúva, ela pode então se casar com seu antigo apaixonado, Tomás Seymour, mas o casamento durou pouco: ela morreu no parto de sua primeira filha que também não sobreviveu por muito tempo.

As seis esposas de Henrique VIII.

Com a morte de Henrique VIII, ascendeu ao trono Eduardo VI, seu filho com Joana Seymour com apenas 9 anos de idade e que reinou de 1547 a 1553.

A morte prematura de Eduardo VI levou a um período de conflitos entre herdeiras da coroa: Maria Tudor, Elizabeth e Joana Grey, esta última decapitada na Torre de Londres, em 1548, por ordem de Maria Tudor que reinou por dois anos, de 1556 a 1558.

Em 1558, a filha de Ana Bolena e Henrique VIII assumiu o trono da Inglaterra vindo a se tornar uma das grandes governantes de sua história sob o nome de Elizabeth I (1558 a 1603).

O local onde Ana Bolena foi executada, na Torre de Londres, tem uma placa de mármore desde 1866. O seu corpo foi sepultado sem placa comemorativa sob a nave da capela da Torre de São Pedro ad Vincula. Em 1876, os restos mortais dos que ali jaziam foram transferidos para a cripta da capela.

 

Compartilhe

Navegue pela História

Selecione o mês para conhecer os fatos históricos ocorridos ao longo do tempo.

Outros Artigos

Últimos posts do instagram

Fique por dentro das novidades

Insira seu e-mail abaixo para receber atualizações do blog: